domingo, maio 28, 2006

Soneto da Separação

De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.

De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama.

De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente.

Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.

Vinícius de Moraes

p.s: somente algo que estava na minha cabeça nos últimos dias... de repente, não mais que de repente...

domingo, maio 14, 2006

Feliz Aniversário

Bah, acabei de me dar conta de que o Limão com Sal completou dois anos esse mês!

Fantástico!

Parabéns!

terça-feira, maio 09, 2006

Ô!

Sabe aquela do pica-pau sem bico?

Foi picar e teve traumatismo craniano...

by Schucki

Letras de Música
música
artista
trecho
by letras.mus.br