sábado, outubro 30, 2004

topicuzinhos

Festas da psico, não genralizado, não são mto animadas. E eu que pensava q esse povo era louco!

A FaBico ultimamente está bucólica ao extremo.

Dois comerciais que me dão nauseas qdo os vejo.
"atroveram, tomo, passou"(repetido ininterruptamente durante toda a propaganda.Detalhe, completamente fora de ritmo)

Cicareli, naquela maltida propaganda da sandalinha- que não me lembro a marca-.
"vcs sabem o q fazer p/ deixar seu namorado louquinho" Puta merda né!

As mãos q cordenam as bandeirinhas ganham em média 20 pila por dia! Agora multiplica isso por todos q estao nas ruas, e depois pelo numero de dias q eles estão por ai! Impressionante!

Eu quero ir num show dos Engenheiros.
"Pra ser sincero não espero de vcs, mas do q educação, beijo sem paixão, crime sem castigo, aperto de mão..."



=(

Estou me sentindo triste e solitária! Minhas amigas me abandonaram! Oh suas piruas, largem mão de serem vagais e voltem a escrever! hehe

quinta-feira, outubro 28, 2004

Casar ou comprar uma bicicleta??

quarta-feira, outubro 27, 2004

Águas Salgadas

Depois de tanto tempo sem aparecer, aqui estou eu novamente para, através desse pequeno espaço virtual, poder manifestar o que penso e sinto.

É através desses pequenos detalhes que percebemos o quanto o mundo é veloz e o quanto estamos tão acostumados com isso que já nem nos damos conta de como o tempo passa muito depressa.
Escrevo isso porque, desde o meu último post por aqui, o tempo voou, e muito aconteceu...

Mas, não vou remexer no passado agora, mesmo que esse passado seja recente, de dias, horas, ou minutos atrás.

Vou, apenas, deixar para vocês o fruto de um momento reflexivo no ônibus hoje pela manhã. Leiam e interpretem à vontade. Perdoem a falta de métrica ou rima. Meu talento literário se resume a transcrever para o papel aquilo que sinto...


Águas Salgadas

“Navegar é preciso”, diz o poeta português.
Sempre concordei com ele.
Mas agora, olhando para o navio destruído e para a tripulação esgotada,
Começo a pensar que viver é que é preciso.

O mar profundo e belo sempre me fascinou.
As águas límpidas, o barulho das ondas...
De súbito, a calmaria passou
Novamente, veio a tempestade e acabou com a tranqüilidade...

Queria, por um tempo, não ter mais que navegar.
Queria, nesse exato momento, poder abandonar o navio,
Deixar para trás os estragos que a fúria das águas provocou.

Ou então, largar o leme e ficar à deriva,
Sem me preocupar com um destino
Apenas me deixando levar pelo embalo das ondas...

Não que eu goste de águas calmas!
O mar morno, quieto, sem graça, esse não me fascina...
Gosto de águas agitadas!
Mas que elas sejam agitadas pela vida, pela coragem, pela emoção
E não que fiquem imóveis pela decepção que as congela.

Estou cansada de lutar contra a tempestade.
Estou cansada do sal, do sol, do céu, do mar.
Vou me trancar no convés...
E esperar por novas águas!"


domingo, outubro 24, 2004

Pão e circo?

O pão e o circo reina em nossa cidade novamente!
E isso é decadente e repugnante!
Hj, não é nem mais só pão e circo, é música, bandinhas da moda(aquelas mesmo q vcs estão pensando), camisetinhas, e uma porção, centenas, milhares de bandeirinhas circulando e invadindo tudo. Eu disse tudo. Basta dar um passo, e ops, cuidado a cabeça. Mais um paço, e aquele maldito pauzinho de madeira te acerta o braço a perna, a barriga... A rua,Interditada. A redenção lotada. As bandeirolas...ahh essas estavam bem alegres.

mosquiando!

Pra falar a verdade não sei pq ninguem mais escreve aqui! Não sei se todas nós estamos atarefas demais(OHH!) ou é alguma crise, existencial, sentimental ou até mesmo excesso de sentimentalismo ou a falta de tal! Só sei que ele(o blog) ta as moscas!

segunda-feira, outubro 11, 2004

Uííííííííííííííííííííí!!!

Demorei, mas, enfim...

Vim prestar uma homenagem ao Teobaldo... Ah, pois é, tenho que explicar essa historia melhor...
Estávamos eu (o burro sempre vem na frente, hehehe), o Pijama, a Brigite-Judite-Maninha, a Amara e o Schucki (não esqueci de ninguém, né? Faz tanto tempo...) indo pra parada lá no Vale e, óbvio, como é de praxe, paramos pra comer algumas amoras num patiozinho que tem muuuuuuuitas amoreiras. A gente ia olhando, tentando achar alguma que estivesse a nossa altura (literalmente!) quando vimos pelo canto do olho algo se mexendo no chão... Não, não era nenhuma barata, nem minhoca nem nada disso que vocês estão pensando... era o Teobaldo!!! Sim, o Teobaldo: um filhotinho de passarinho!!! Desse tamanhinho assim, ó, um mimo!!! No começo ele tentou fugir, mas aí o Pijama salvou ele de morrer atropelado no estacionamento (ainda não conseguia voar...) e ele ficou nosso amigo, não fugiu mais!!! O Téo é uma gracinha, essa semana vamos voltar lá e, com certeza, ele vai estar lá nos esperando pra nos dar um oi. Teobaldo, nós te amamos!!!

Fora isso, o fim de semana foi interessante, com a festa dos bixos e algumas reunioezinhas básicas pra tagarelar bastante... se bem que eu fiquei bastante quieta essas semanas que passaram... às vezes o silêncio é mais cômodo...

Ah! Minha avó por parte de pai completou oitenta (!!!) anos há umas duas semanas (não sei a data exata, vou quiemar no fogo do inferno!), teve festa e tudo, mas não deu pra eu ir por que tinha a eleição... Então fica aqui a minha humilde homenagem: PARABÉNS DONA CELINIA!!! Te adoro, vó, muito mesmo!!!

Acho que, por enquanto, é só...
Vou tentar postar mais vezes, mas tá meio ruim de achar uma brecha-pulso-único na minha agenda...
Só o fim de semana e os feriados pra me salvar, mas hoje eu tive que entrar e fazer a homenagem ao Téo e à minha vó antes que eu esquecesse... pois é, eu ando meio - muito - esquecida...

Bom, chega!
Bjoks e... o que mesmo?!
Ah! Pipoks!
Bjoks e pipoks!!! - forçada essa... tsc,tsc...

domingo, outubro 10, 2004

Simple Together

Eu e minhas musicas! Ai vai mais uma que eu acho bem linda!

Simple Togegher
by Alanis Morissette

You've been my golden best friend
Now with post - demise at hand
Can't go to you for consolation
Cause we're off limits during this transition

This grief overwhelms me
It burns in my stomach
And I can't stop bumping into things

I thought we'd be simple together
I thought we'd be happy together
Thought we'd be limitless together
I thought we'd be precious together
But I was sadly mistaken

You've been my soulmate and mentor
I remembered you the moment I met you
With you I knew god's face was handsome
With you I suffered an expansion

This loss is numbing me
It pierces my chest
And I can't stop dropping everything

I thought we'd be sexy together
Thought we'd be evolving together
I thought we'd have children together
I thought we'd be family together
But I was sadly mistaken

If I had a bill for all the philosophies I shared
If I had a penny for all the possibilities I presented
If I had a dime for every hand thrown up in the air
My wealth would render this no less severe

I thought we'd be genius together
I thought we'd be healing together
I thought we'd be growing together
Thought we'd be adventurous together
But I was sadly mistaken

Thought we'd be exploring together
Thought we'd be inspired together
I thought we'd be flying together
Thought we'd be on fire together
But I was sadly mistaken

sábado, outubro 09, 2004

ups

13:38 / sono muito sono
não dormi muito,
mas ainda há 3 dias p/ tirar o atraso, ou não né!
Bah, hj temos almoço na casa do schuky! Hum, isso é sinal de comida boa! hehe afinal não é ele quem vai fazer a comida! hehe
ps: carolzitcha, estamos sentindo tua falta, larga mão de ser dorminhoca e vem p/ cá!
desculpe se te acordamos, ou melhor a Denise!



domingo, outubro 03, 2004

Interpretação

Estava lendo a "Filosofia da Composição", do Edgar Allan Poe, em que ele explica como concebeu sua excepcional obra "O Corvo". Em determinado momento, ele diz que a litertura - no caso, a poesia - é como uma equação matemática. É preciso ser exato, preciso.

Ouso dizer que, sinceramente, não concordo plenamente com ele. Mas não é sobre isso que quero escrever. Essa afirmação do Allan Poe me fez refletir sobre algo que eu considero fundamental na existência de cada um de nós: interpretação. Seja do mundo, das pessoas, das teorias, ela está sempre presente. Só para exemplificar: ele interpreta a literatura como uma fórmula matemática. Eu não.

E são justamente as diversas formas de interpretação que tornam o mundo essa grande riqueza de expressões. Mas, assim como a fórmula matemática de Poe, para interpretarmos o mundo - e isso é uma interpretação minha - precisamos tentar encontrar a precisão, a exatidão, o equilíbrio, dentro de nós mesmos.

Para atingirmos a igualdade, precisamos equilibrar razão e emoção, com todas as conseqüências que isso pode acarretar. Entretanto, se conseguirmos atingir esse equilíbrio, o que vai acontecer?

Segundo a psicologia, o homem nunca deveria encontrar a homeostase completa, pois isso seria o fim dos nossos desejos, anseios, sonhos. Estaríamos mortos.

Mas todas essas considerações são apenas uma interpretação. O melhor de tudo isso é que podemos escolher a forma como vamos enxergar o mundo: dependendo da teoria que adotarmos, nossa visão pode ser totalmente diferente. E isso é uma grande maravilha, pois nos permite uma infinidade de experimentações.

Nossa, esse post está uma loucura. Mas é que a minha cabeça não parou de funcionar esse final de semana, pensei sobre muitas coisas e tentei escrever um pouquinho de tudo que estava sentindo. Desculpem se não fui muito clara. De acordo com o que escrevi, sintam-se à vontade para interpretar minhas palavras como quiserem.

Boa semana para todos! Muitos beijos!



sábado, outubro 02, 2004

Pensamentos embolados...

Uma coisa que pouquíssima gente sabe sobre mim é que sou uma pessoa muito instável. Claro que já devo ter demonstrado isso, de alguma forma, com as minhas constantes transições de humor entre extremamente feliz e completamente deprimida (as pobres gurias que sofrem comigo, tadinhas). E é por isso que estou agora aqui: por que recebi uma ligação a poucos minutos, na qual eu fiquei sabendo de coisas que me deixaram muito, mas muito irritada. Eu não vou falar sobre o que foi - plagiando o Pinky, que acho que também vem passando por isso -mas tenho uma ressalva a fazer: eu venho aturando quieta algumas coisas já a algum tempo, por isso minha irritação não pode ser considerada tão imprevista assim.

Eu tenho uma filosofia de vida que vem dando muito certo pra mim: me esforço pra não julgar. Claro que eu não sou perfeita, e às vezes acabo formando opiniões nada construtivas, mas são em casos que vão exclusivamente contra àquilo que eu acredito, e não é por isso que saio espalhando aos quatro ventos o que eu penso, até por que posso estar errada - e na, maioria das vezes, estou. Também não costumo dar ouvidos as pessoas que fazem esse tipo de alarde, mas ultimamente algumas coisinhas vêm me incomodando.

Opiniões mal colocadas são a praga da humanidade, sabe. Magoam, insultam, provam que quem as proferiu não tem a menor idéia do que está falando. Essas opiniões são aquelas que sempre alguém - que não foi convidado - dá sobre a tua vida. Se eu estiver preocupada se alguma coisa que eu fiz pegou mal pra mim, por exemplo, e quiser uma opinião, eu vou chegar pra alguém e perguntar o que ele acha, vou contar o ocorrido e, com base nesse conhecimento, vou esperar que me dê uma resposta sincera, mesmo que seja o que eu não quero ouvir - a maturidade é algo importante nesse ponto, tanto para quem pergunta quanto para quem responde. Mas tem gente que não é assim, gente que perde boas oportunidades de ficar quieto (bah, isso me lembrou um mico que eu paguei semana passada, hehehe). Eu acho que, em prol da boa convivência, e da estabilidade do meu humor, algumas pessoas deveriam cuidar mais das suas próprias vidas.

Bom, esses foram, como diz o título, alguns pensamentos que estavam embolados na minha cabeça, ocupando um espaço que, cá entre nós, não merecem nem um pouco ocupar. Me sinto bem melhor agora.
Bjoks e pipoks!


Letras de Música
música
artista
trecho
by letras.mus.br